EQUIPE MACHINE

 

21935568_1613506175391308_1513898863_n21919351_1613514992057093_1868413226_n21919299_1613506385391287_1746318733_n21919219_1613514988723760_10518828_n21905585_1613515155390410_212193006_n21905667_1613504352058157_1867986596_n21912591_1613515485390377_1948357470_n21912639_1613505418724717_1994698999_n21919182_1613505615391364_1556400375_n21903700_1613505722058020_1350080965_n21691264_1613514492057143_1922563814_nDSC_0023A Coordenação (2)DSC_0010DSC_0003DSC_0033DSC_0022DSC_0016DSC_0008DSC_0001DSC_0145Slide1Slide2

Machine comanda uma equipe distribuída numericamente por 90 pessoas que
trabalham nos Ensaios Técnicos e 21 no Carnaval. A equipe é convocada a partir de novembro para dar início ao supervisionamento aos trabalhos de montagem das estruturas provisórias, camarotes, praças de alimentação, sala de imprensa e cabines
de rádio, além da instalação de fornecimento de energia e água. Quando começam os
trabalhos, Machine, “Sindico do Sambódromo” reúne sua equipe em um final de
semana e distribui as funções.
Uma equipe fica responsável pelo desembarque dos componentes das escolas dos
ônibus e orienta os motoristas a seguirem até o setor 12 ou 13, para estacionar os
veículos no interior do Sambódromo até o final do Ensaio Técnico, sem causar
transtorno ao trânsito em torno do sambódromo; outra equipe é responsável pela
locomoção do carro de som durante os ensaios de todas as escolas de samba do
grupo especial e de acesso, eles têm a função de se posicionarem a frente do carro de
som para dar total segurança aos componentes da bateria, que estão na frente deste
carro.

Outra função de extrema importância é a do integrante da equipe que trabalha sozinho
na entrada da frisa do setor 03. Este setor é destinado aos turistas, celebridades,
presidentes das agremiações, diretores de carnaval e de harmonia, casais de mestre-
sala e porta-bandeira, profissionais da imprensa e às pessoas com idade acima de 60
anos. Todas essas funções e outras exigem conhecimento, organização, agilidade e
principalmente muita cautela para tratar com o público.
Marcelo Marques da Silva é um dos coordenadores da equipe, e trabalha há dez anos
com Machine. Na ausência dele, Marcelo comanda o andamento dos segmentos nos
ensaios técnicos e nos desfiles. Por estar sempre com ele sabe como conduzir e
resolver qualquer problema, se necessário. Marcelo tem 30 anos de carnaval e foi
passista na G.R.E.S. Império Serrano, G.R.E.S. Portela, G.R.E.S. União da Ilha do
Governador, entre outras.

Viviane dos Santos Caetano é a filha mais velha de Machine e secretária da equipe.
Tudo começou quando Viviane recorreu a seu pai, em busca de uma oportunidade de
emprego. “Não pensem que tive moleza por ser filha do Machine. Limpei muitos
banheiros de arquibancada no Sambódromo e um dia ele me deu uma oportunidade,
para compor a equipe”, revela. Hoje, nos Ensaios Técnicos e no Carnaval, ela se junta
aos demais para recolher parte das fantasias que ficam na pista, oferece água aos
desfilantes, acompanha as personalidades até o seu destino e é conhecida por muitos
como anjo da guarda. “Não deixo nada e ninguém passar quando o casal de mestre-sala e porta-bandeira está se apresentando. Nada pode atrapalhar a evolução do
casal”, declara.
Não há nada que passe despercebido, casais de mestre-sala e porta-bandeira,
comissões de frente, alas coreografadas e baterias ensaiam até a madrugada sob os
olhares da equipe. Segundo Machine, o critério primordial para trabalhar na equipe é
humildade. Para muitos, o carnaval tem dia e hora para acabar, mas para esses
guerreiros dura o ano inteiro, pois, sempre que possível Machine convoca um
representante da equipe para comparecer aos eventos quando convidado. . O
profissional tem que gostar de Carnaval, ter paciência e ser educado com os
componentes e o público que prestigia o Maior Espetáculo da Terra.